Paraquat para cana de açúcar

A cana de açúcar é uma gramínea alta com uma haste fibrosa espessa que armazena sacarose. Por ser uma lavoura tropical, é cultivada principalmente na América Latina, Índia e Extremo Oriente. Cerca de 70% de todo o açúcar vem da cana de açúcar, o restante vem do açúcar de beterraba.

O controle de ervas daninhas com paraquat e o uso de práticas agronômicas associadas podem ajudar a superar alguns dos principais problemas ambientais na produção da cana de açúcar, inclusive:

  • Erosão do solo
  • Contaminação da água por escoamento e lixivia

    Definição

    O processo natural pelo qual as substâncias solúveis em água são carregadas para baixo, através do solo, até as águas subterrâneas.

    ção de agroquímicos
  • Resistência de ervas daninhas a outros herbicidas, como o glifosato

Erosão do solo

O paraquat tem sido essencial para o desenvolvimento de sistemas de cultivo, como plantio direto, que não dependem de aragem para o controle de ervas daninhas. Quanto menos o solo for perturbado, mais se evita a erosão. A cana de açúcar geralmente é cultivada em terrenos com declive ou em solos frágeis. Tempestades tropicais causam muita erosão do solo. A perda da camada superficial do solo reduz a fertilidade e produtividade, dificulta as operações onde se abriram sulcos, e o solo erodido bloqueia cursos d'água. Os escoamentos associados de pesticidas e nutrientes podem também reduzir a biodiversidade e provocam eutrofização em lagos e rios.

Ao preparar campos para uma nova cultura, em vez de aragem, pode-se usar um herbicida não seletivo como o paraquat para controlar ervas daninhas ou uma lavoura de cobertura de leguminosas que tenham crescido enquanto a terra estava em pousio. O paraquat tem uma vantagem, sobre herbicidas sistêmicos como o glifosato: mata brotos muito rapidamente, deixando as raízes intactas, o que melhora a estrutura do solo e proporciona um efeito de ancoragem para resistir à erosão. Gemas de cana são então plantadas em sulcos ou simples tiras estreitas de terra cultivada.

Lixiviação agroquímica

O paraquat é desativado imediatamente ao entrar em contato com o solo, portanto não há problemas de escoamento, lixiviação, persistência ou absorção pela raiz que restrinjam seu uso. Herbicidas residuais que atuam no solo, sobre sementes de ervas daninhas em germinação, são amplamente utilizados na cana de açúcar. No entanto, apesar desses herbicidas proporcionarem controle de ervas daninhas no longo prazo, eles têm que se mover no solo para serem eficazes, correndo risco de lixiviação. 

Dados e fatos sobre a cana de açúcar

  • 26 milhões de hectares de cana de açúcar são cultivados em todo o mundo
  • 101 países cultivam cana de açúcar
  • 1,8 bilhão de toneladas foram colhidas em 2012
  • O país número 1 em produção de cana de açúcar é o Brasil
  • 25% de aumento na área de cana de açúcar no Brasil desde 2000

Resistência de ervas daninhas

Ervas daninhas reduzem a produtividade da cana de açúcar ao competir por luz, água e nutrientes, ao abrigar pragas e doenças, interferir com a moagem, e limitar o número de lavouras que crescem a partir de brotos de uma plantação original. O controle de ervas daninhas pode ser um dos componentes mais caros da produção da cana de açúcar.

O paraquat não é sistêmico, como o glifosato, portanto pode ser aplicado até o estágio de quatro folhas da cana de açúcar, sem danos permanentes. Em algumas situações, a flambagem temporária da lavoura é até benéfica e estimula o crescimento de brotos laterais (perfilhos). Mais tarde, o paraquat pode ser usado para desidratar a lavoura através de pulverização aérea 3-14 dias antes da colheita.

Embora o glifosato proporcione um bom controle de ervas daninhas perenes, seu uso intensivo pode incentivar ervas daninhas agressivas de folhas largas e até mesmo a resistência de ervas daninhas. O paraquat proporciona excelente controle de um amplo espectro de ervas daninhas anuais, por isso pode ser alternado com o glifosato para proporcionar o controle eficaz e sustentável de ervas daninhas, reduzindo o risco de resistência.