Soil properties

O solo é fundamental para a vida na terra. É composto de partículas minerais, matéria orgânica, água, ar, flora e fauna. A formação do solo é um processo extremamente lento, por isso solo é essencialmente um recurso não renovável e deve ser valorizado, respeitado e tratado com muito cuidado. Técnicas agronômicas como plantio direto e lavouras de cobertura, que envolvem o uso de herbicidas não seletivos como o paraquat para controle de ervas daninhas, podem preservar e melhorar a qualidade dos nossos solos.
A Organização para Alimentos e Agricultura da ONU (FAO) realizou um fórum em Roma, para marcar o Dia Mundial dos Solos em 5 de dezembro de 2014 e para lançar o Ano Internacional dos Solos. Os palestrantes do evento enfatizaram a importância fundamental, a complexidade e a fragilidade dessa fina camada que cobre a terra.1
Degradação do solo e agricultura
Leva 1.000 anos para formar cerca de três centímetros de solo superficial, e o planeta está perdendo uma área equivalente a 30 campos de futebol por minuto.
O comportamento característico do paraquat no solo significa que produtores no mundo inteiro o utilizam com segurança para proteger suas lavouras. Paraquat proporciona um rápido controle de plantas daninhas de amplo espectro apenas pela ação através do contato foliar. A lavoura não é danificada através das raízes ou qualquer efeito na germinação de plântulas. Fauna e microrganismos do solo não são afetados e resíduos do paraquat que atingiram o solo não são lixiviados ou escoados.
Este artigo explica o destino do paraquat no solo em relação às implicações ao meio ambiente e o seu papel no aumento da produtividade agrícola. Dois processos interligados são fundamentais para o destino geral do paraquat no solo: como ele se liga (adsorção) ao solo e como ocorre sua degradação no solo.
Degradação do Paraquat no solo
Paraquat é intrinsicamente biodegradável como foi demonstrado em estudos de incubação em laboratórios com microrganismos em solução aquosa1.
O comportamento característico do paraquat no solo significa que produtores no mundo inteiro o utilizam com segurança para proteger suas lavouras. Paraquat proporciona um rápido controle de plantas daninhas de amplo espectro apenas pela ação através do contato foliar. A lavoura não é danificada através das raízes e não há qualquer efeito na germinação de plântulas.
O paraquat é usado para controlar uma gama enorme de ervas daninhas em todo o mundo, porém, para controlar ervas daninhas de maneira eficiente e sustentável, é importante entendê-las.
Por que uma planta se torna erva daninha? Como os diferentes tipos de ervas daninhas podem ser descritos? Que características e modos de crescimento de ervas daninhas podem ser alvos dos herbicidas para o controle bem sucedido? Por que o paraquat é uma ferramenta tão útil para agricultores?
O que são ervas daninhas?
Ervas daninhas geralmente são descritas como plantas indesejáveis. As ervas daninhas crescem em terras cultiváveis aguardando o plantio, e depois uma nova onda de germinação de ervas daninhas emerge com a lavoura. Em lavouras perenes, como pés frutas, videiras, seringueiras e dendezeiros, as ervas daninhas crescem continuamente; esse crescimento acompanha o clima e as mudanças de estação.
As ervas daninhas são indesejadas por muitas razões: Elas competem com as plantas da lavoura por luz, água e nutrientes, reduzindo as safras e a qualidade.
Podem servir como habitat para pragas e doenças, de onde estas podem atacar a lavoura.
O manejo integrado de ervas daninhas e o plantio direto são ferramentas agronômicas com metas comuns de aumento da eficiência e lucratividade, ao mesmo tempo em que reduzem o impacto ambiental da produção agrícola. Apesar de seu conceito avançado, essas ferramentas são simples e diretas e podem ser adaptadas para uso em todos os sistemas agrícolas, desde sistemas altamente mecanizados até a agricultura de subsistência, no mundo todo.
O preparo do solo é um meio comprovadamente eficiente de controle de ervas daninhas, há outros métodos suficientemente bons para uso em uma abordagem de manejo integrado de ervas daninhas em sistemas de plantio direto? Este artigo examina como os agricultores podem se beneficiar com o uso de ambas técnicas combinadas.
Paraquat e agricultura sustentável, por Richard H. Bromilow
Em seu artigo, “Paraquat e agricultura sustentável”, o autor Richard H. Bromilow estuda o papel desempenhado pelo paraquat no suporte à agricultura sustentável em todo o mundo.
Resumo: A agricultura sustentável é essencial para a sobrevivência do homem, principalmente considerando o rápido crescimento da população. A expansão da agricultura para as áreas de vegetação natural remanescentes é indesejável, pois reduziria a biodiversidade do planeta. Assim, a manutenção ou até o aumento da produção das lavouras nas terras cultivadas existentes, seja por pequenos agricultores ou em grandes propriedades, é necessária.
Cria oportunidades
O uso do paraquat para controle de ervas daninhas significa grande redução da necessidade de mão-de-obra com possibilidade de aumento da produtividade e rentabilidade. Por um lado, isso significa que as pessoas que, de outra forma, seriam compelidas procurar emprego na remoção de ervas daninhas, ficam livres para encontrar outras oportunidades de usarem melhor seu tempo e, por outro lado, os agricultores que têm dificuldade no recrutamento de trabalhadores para a remoção manual de ervas daninhas, podem cultivar lavouras melhores.
Estudo de Caso
Três quartos das perdas de safra nos países em desenvolvimento se devem a ervas daninhas. Especialistas da FAO salientam que as perdas econômicas totais são muito maiores nos países mais pobres devido ao tempo gasto na capina manual. "Tendo à disposição apenas o trabalho manual, os pequenos produtores africanos precisam remover ervas daninhas diariamente, o que significa que, para uma família, é fisicamente impossível cuidar de mais do que 1 a 1,5 hectares por dia".
Leia mais …
 
Estimula a economia
Reduz a erosão do solo
Ao matar as ervas daninhas enquanto mantém as raízes no lugar, paraquat estabiliza o solo.
Estudo de Caso
No projeto Sagip-Lupa, com duração de cinco anos nas Filipinas, os pesquisadores vêm colaborando no estudo de abordagens para reduzir a grave ameaça que erosão do solo representa para a produção de alimentos e o meio ambiente.
Nos três campos experimentais, uma média de mais de 100 toneladas/ha da camada superior do solo foi perdida a cada ano pela atividade agrícola na forma tradicional. As grandes economias da preciosa camada superficial do solo quando de usa paraquat com plantio direto são todas estatisticamente significantes.
A produtividade das lavouras também foi beneficiada.
Leia mais…
 
 
 
Aumenta a matéria orgânica do solo
O uso do paraquat, combinado ao menor preparo do solo, contribui para a preservação da matéria orgânica.
Controla ervas daninhas
O paraquat é uma ferramenta importante no manejo de ervas daninhas. Ele controla muitas espécies e pode ser usado com a maioria das culturas. Seu modo de ação o torna especialmente valioso onde o uso intensivo do glifosato causou, ou ameaça causar, o desenvolvimento de ervas daninhas resistentes ao glifosato.
Estudo de Caso
A adoção extensiva de culturas GM tolerantes ao glifosato levou os agricultores a uma dependência exagerada do glifosato.
Embora o glifosato incentive a adoção contínua do plantio direto, com todos os benefícios para a conservação do solo que isto traz, estima-se que até três milhões de hectares no Brasil estejam infestados por ervas daninhas resistentes ao glifosato.
Todavia, um sistema de controle integrado de ervas daninhas inclui a continuação da pulverização de glifosato para o manejo, porém aplicando-se um herbicida baseado em paraquat imediatamente antes ou logo após o plantio da lavoura.
Leia mais …
 
 
Age rápido
O paraquat causou uma revolução no preparo do solo, que teve profundos efeitos econômicos, sociais e agronômicos em todo o mundo.
As propriedades herbicidas do paraquat foram descobertas pela ICI (uma precursora da Syngenta) em 1955, e ele foi introduzido nos mercados mundiais em 1962 sob a marca registrada GRAMOXONE®. O paraquat foi rapidamente aceito como ferramenta para controle de ervas daninhas em lavouras de fileiras de plantas emergidas e lavouras de árvores. Todavia, foi a constatação de que o paraquat podia substituir a aragem, processo laborioso e demorado, que, nas décadas de 1960 e 1970, levou à expansão das pesquisas no mundo todo, numa escala sem precedentes para uma única substância química agrícola e a uma revolução na agricultura.
Por que o paraquat é um produto tão incomparável e por que é tão valioso para agricultores? Antes de responder, é preciso considerar a importância das ervas daninhas.