SE Asia

Agricultores indonésios contam com paraquat para aumentar a eficiência e a produtividade, gerando mais renda e mais tempo para suas famílias. Isso foi confirmado por pesquisas recentes realizadas em dois distritos agrícolas importantes da Indonésia.
Milho e arroz em casca são as principais culturas produzidas no Distrito de Grobogan, Java central. Desde 1999, agricultores em Grobogan vêm expandindo sua produção de milho. Isso foi iniciado por uma mudança na política do governo de incentivo a sistemas agroflorestais.
O milho pode ser cultivado em plantações jovens de teca, enquanto a cobertura ainda é escassa. Todavia, a terra adicional cultivada colocou enorme pressão sobre as exigências de mão-de-obra.
Os benefícios econômicos do paraquat para agricultores e balanças comerciais nacionais foram quantificados em um artigo publicado na revista Outlooks on Pest Management.
Resultados compilados de experimentos de campo em escala de produção agrícola e pesquisas na China, Filipinas e Vietnã apresentam fortes evidências de que o uso do paraquat contribui para aumentos significativos nos rendimentos anuais de pequenos agricultores no valor de até $ 1.000/ha ao ano.
As principais conclusões estão resumidas abaixo.
Vietnã
No Vietnã, o milho e o chá são exemplos de importantes culturas anuais e perenes, respectivamente, nas quais o uso do paraquat vem aumentando a produção e a rentabilidade, além de melhorar o solo. No mercado interno, o milho tem grande demanda para alimentação animal, enquanto o chá é um importante produto de exportação. Ambas as lavouras são cultivadas em encostas onde a aragem e a alta precipitação podem significar grandes perdas de solo por erosão.
Principais benefícios do paraquat Ação rápida permite plantar mais cedo
Resistente à chuva
Seguro para as lavouras
Os benefícios econômicos do paraquat para agricultores e balanças comerciais nacionais foram quantificados em um artigo publicado na revista Outlooks on Pest Management.
Resultados compilados de experimentos de campo em escala de produção agrícola e pesquisas na China, Filipinas e Vietnã apresentam fortes evidências de que o uso do paraquat contribui para aumentos significativos nos rendimentos anuais de pequenos agricultores no valor de até $ 1.000/ha ao ano.
As principais conclusões estão resumidas abaixo.
Vietnã
No Vietnã, o milho e o chá são exemplos de importantes culturas anuais e perenes, respectivamente, nas quais o uso do paraquat vem aumentando a produção e a rentabilidade, além de melhorar o solo. No mercado interno, o milho tem grande demanda para alimentação animal, enquanto o chá é um importante produto de exportação. Ambas as lavouras são cultivadas em encostas onde a aragem e a alta precipitação podem significar grandes perdas de solo por erosão.
Principais benefícios do paraquat Ação rápida permite plantar mais cedo
Resistente à chuva
Seguro para as lavouras
Os benefícios econômicos do paraquat para agricultores e balanças comerciais nacionais foram quantificados em uma publicação recente. Resultados compilados de experimentos de campo em escala de produção agrícola e pesquisas na China, Filipinas e Vietnã apresentam fortes evidências de que o uso do paraquat contribui para aumentos significativos nos rendimentos anuais de pequenos agricultores no valor de até $ 1.000/ha ao ano.
O trabalho completo, publicado na revista Outlooks on Pest Management, pode ser lido aqui. As principais conclusões estão resumidas abaixo.
Vietnã
No Vietnã, o milho e o chá são exemplos de importantes culturas anuais e perenes, respectivamente, nas quais o uso do paraquat vem aumentando a produção e a rentabilidade, além de melhorar o solo. No mercado interno, o milho tem grande demanda para alimentação animal, enquanto o chá é um importante produto de exportação. Ambas as lavouras são cultivadas em encostas onde a aragem e a alta precipitação podem significar grandes perdas de solo por erosão.
Principais benefícios do paraquat Ação rápida permite plantar mais cedo
O paraquat é uma ferramenta importante no arsenal dos agricultores filipinos em sua batalha contra as ervas daninhas. A agricultura é uma das indústrias mais importantes das Filipinas. Mais de um terço da mão-de-obra do país trabalha em propriedades agrícolas. A maioria das propriedades agrícolas são pequenas, com média de apenas 2 hectares, e os agricultores precisam cultivar diversas culturas de maior valor, para garantir a rentabilidade. É aqui que as propriedades agronômicas e ambientais do paraquat e sua versatilidade são inestimáveis.
Uma pesquisa recente com agricultores filipinos e seu uso do paraquat enfatizou seus benefícios econômicos.
Benefícios do paraquat
Nas Filipinas, o paraquat é usado em culturas que vão desde itens básicos como arroz e milho, até uma variedade enorme de produtos hortícolas e plantações como a cana-de-açúcar.
O uso de paraquat para controle de plantas daninhas em plantações de dendê pode abranger uma série de critérios de sustentabilidade definidos pela Mesa Redonda sobre Dendê Sustentável (RSPO na sigla em inglês – Roundtable on Sustainable Palm Oil). Estes incluem proteção do solo e da qualidade da água, além de redução da erosão. Como parte de uma abordagem mais ampla, pequenos agricultores em processo de certificação RSPO aprendem como obter culturas mais rentáveis ao mesmo tempo em que usam todos os insumos com maior eficácia e segurança.
Em todo o mundo, 33% do dendê são produzidos em lavouras cultivadas por pequenos produtores.
Uma avaliação dos benefícios do treinamento de agricultores tailandeses em uso seguro de produtos de proteção à lavoura como o paraquat mostrou que o bom stewardship de produto tem efeitos positivos claros sobre os cuidados tomados por agricultores no armazenamento, manipulação e pulverização.
O levantamento realizado pela Universidade Kasetsart também revelou a rica diversidade de lavouras cultivadas no oeste da Tailândia.
O treinamento foi realizado como parte de um projeto mais amplo, “A Produção Segura e Sustentável das Lavouras de Horticultura”, que visa melhorar a qualidade dos sistemas de produção vegetal na Tailândia de acordo com normas internacionalmente reconhecidas de Boas Práticas Agrícolas. Os mercados de exportação são importantes para o país e seus agricultores; assim, é essencial atender aos requisitos rigorosos de qualidade e sustentabilidade.
Treinamento bem sucedido
O chá é uma cultura próspera no Vietnã, e os agricultores contam com o paraquat para um sistema de controle de plantas daninhas que reduz a erosão do solo. Grande parte das lavouras de chá são cultivadas em terras inclinadas, sujeitas à perda de quantidades muito significativas de solo a cada ano.
Resultados de pesquisas realizadas pelo Instituto de Ciências Agrárias e Silvicultura do Norte Montanhoso mostram que usar paraquat no controle de ervas daninhas em vez da capina manual pode salvar quantidades enormes de solo. O paraquat é mais eficaz do que o glifosato, pois deixa intactas as raízes para ancorar o solo.
Chá no Vietnã
A agricultura malaia teve um alerta sobre a ameaça representada por ervas daninhas resistentes a herbicidas. O paraquat tem um papel essencial a desempenhar na prevenção desse problema potencial potencialmente gigantesco. O relato do Centro de Informações sobre Paraquat quanto à descoberta de populações da nociva planta daninha capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) resistente ao herbicida não seletivo glufosinato foi confirmado por uma publicação numa revista científica1.
Um produtor de hortaliças no estado de Malaca e agricultores em um viveiro de mudas de dendezeiro no estado de Pahang haviam suspeitado que o glufosinato não estava conseguindo controlar capim-pé-de-galinha. Investigações posteriores confirmaram que uma população mostra uma resistência dupla e a outra, uma resistência de oito vezes.
Redução de custos e efeitos ambientais favoráveis ao usar paraquat: estas foram as principais conclusões de um estudo de quatro anos, recentemente concluído pela Universidade das Filipinas, que comparou métodos de controle de ervas daninhas em bananas.
O experimento foi conduzido em uma plantação comercial em Mindanao, a grande ilha ao sul do país. A banana contribui significativamente para a economia das Filipinas, por ser uma das principais frutas de exportação. Novas plantações estão sendo estabelecidas em terrenos mais inclinados, onde a erosão do solo constitui uma ameaça real à produção sustentável. Autoridades filipinas estimam que 623 milhões de toneladas de solo são perdidas anualmente de uma área de 28 milhões de hectares de terra.